Blog

Tratamento para o lipedema

Nesse texto o Dr. Felipe Coelho explica como é o tratamento do lipedema
Nesse texto o Dr. Felipe Coelho explica como é o tratamento do lipedema

O lipedema é caracterizado pelo acúmulo de gordura desproporcional nas coxas e pernas em comparação com a parte de cima do corpo, e habitualmente não compromete os pés, de forma que a gordura acumulada chega até o nível do tornozelo, formando uma "cintura" nessa região. Essa característica de não comprometer os pés é importante para diferenciarmos o lipedema da obesidade habitual.

As pessoas com lipedema se queixam de retenção de líquidos, sensibilidade exagerada ao toque da pele ("em mim, tudo dói"), facilidade de formar hematomas (aqueles roxinhos que aparecem nas pernas), e uma certa fraqueza muscular e sensação de pernas pesadas. Além desses sintomas, muitas pessoas sofrem psicologicamente com a doença.

Infelizmente, não existe uma cura definitiva para o lipedema.

Mas a boa notícia é que tem controle, e as pessoas podem conviver com o problema de forma plena.

Se você se identifica com o problema, vale a pena marcar uma consulta com um Cirurgião Vascular, ele é o especialista indicado para fazer o diagnóstico e acompanhar seu tratamento.

O tratamento se apoia em 04 terapias principais:

01. Fisioterapia

02. Dieta e atividade física

03. Tratamento cirúrgico com lipoaspiração e cirurgia plástica

04. Suporte psicológico

A fisioterapia deve ser realizada por profissional Fisioterapeuta capacitado para realizar a terapia física complexa, que é uma técnica de drenagem especial que ajuda a eliminar o acúmulo de líquidos. Frequentemente é necessário realizar o enfaixamento da perna após a drenagem para auxiliar o tratamento.

A dieta é muito importante, pois ajuda na manutenção do peso corporal - infelizmente o lipedema não responde bem à dieta, é muito comum a pessoa que tem lipedema dizer que já fez dieta, emagreceu em outras partes do corpo mas nas pernas a perda foi mínima. Mas ainda assim a dieta ajuda a não ganhar peso, e quando prescrita por Nutricionista, pode se basear em nutrientes não inflamatórios, que ajudam a controlar o lipedema.

Outro pilar do tratamento são os exercícios físicos, que devem ser de baixo impacto como Pilates, hidroginástica, natação, Ioga e alongamentos, justamente para preservar as articulações e o sistema linfático.

A lipoaspiração é indicada em casos selecionados e pode melhorar tanto o aspecto quanto os sintomas do lipedema. Infelizmente a lipoaspiração não é a cura para o lipedema, e normalmente é necessário manter todos os cuidados descritos anteriormente para um melhor resultado.

Por fim, o tratamento psicológico vai contribuir para aceitação e convívio saudável com a doença, uma vez que não existe uma cura definitiva, e sim controle e cuidado.

Como podemos ver, o lipedema acomete muitas mulheres, muitas delas nem sequer sabem que tem a doença, e vivem sofrendo com o estigma de que são obesas. O diagnóstico é muito importante, porque quando as pessoas entendem que sofrem de um problema de saúde, que não se trata de desleixo ou descuido, passam a se dedicar mais a controlar o problema. Tomando as medidas corretas é possível conviver bem com o problema e levar uma vida plena e saudável.

O diagnóstico precoce é fundamental para o controle do lipedema, se você se identificou nesse texto, consulte um Cirurgião Vascular para fazer sua avaliação.